quarta-feira, 30 de maio de 2018

Decoração: aromatizadores de ambientes

Adoro decorar e perfumar os ambientes com aromatizadores. Acredito que eles ajudem a melhorar o humor, relaxar e criar uma atmosfera propícia para despertar sensações agradáveis e lembranças boas. Para você que também gosta muito desse pequeno luxo compartilho as minhas seis maneiras preferidas de aromatizar os espaços, todas testadas e aprovadas! 

Aromatizadores de ambientes. Foto: Carina Pedro
Aromatizadores de ambientes. Foto: Carina Pedro

Borrifador com essência: são meus preferidos, tenho a impressão de que são os que deixam o ambiente perfumado por mais tempo, sem ficar enjoativo. Costumo borrifar a essência em cortinas, roupas de cama e pelo ar, especialmente antes de dormir. Já usei borrifadores muito bons das marcas Bem Estar Eco, Flo Atelier Botânico e Santo Sabão. 

Aromatizador elétrico: é o meu segundo tipo preferido, o cheiro se espalha super bem, mesmo estando fixo em uma tomada. Para não ficar muito forte, costumo pingar algumas gotas de essência e deixar ligado por uma meia hora, especialmente se as janelas e portas estiverem fechadas. O meu aromatizador elétrico é da Via Aroma e as essências de pingar também. Os perfumes são bem variados e fáceis de encontrar no comércio. 

Aromatizador com palitos de madeira: o efeito decorativo deste aromatizador é um dos mais interessantes por conta dos palitos. De tempos em tempos, é preciso invertê-los para que o cheiro da essência se espalhe de novo. O perfume fica concentrado em volta do aromatizador, enquanto a essência evapora bem devagar. Já segui um tutorial do blog Casa da Chris e fiz meu aromatizador em casa, ficou bem legal. 

Incenso: embora exista uma variedade grande de incensos no mercado, acho que os cheiros se assemelham bastante durante a queima. Os incensos têm um perfume inconfundível que gosto bastante, mas prefiro sempre deixá-los queimando num local ventilado. Outro charme é o porta incenso que também ajuda a incrementar a decoração.  

Velas: está no top da lista de queridinhos na decoração. Existem muitas marcas no mercado, mas também é possível fazer sua própria vela, sem dificuldades. Os cheiros vão dos mais intensos aos suaves, para todo tipo de olfato. A única ressalva é que não podemos esquecê-la acesa. A luz de velas é extremamente aconchegante e ajuda a criar uma atmosfera que pode ir do relaxamento ao romance. Indico as velas da Made in São Paulo. 

Sachês: tenho uma lembrança afetiva de sachês perfumados espalhados pela casa, por isso gosto de tê-los sempre por perto. O cheirinho que fica nas roupas é delicioso! Lembrando que eles são os mais indicados para usar no lugar de sabonetes que podem atrair insetos. A marca norte-americana Greenleaf produz aqueles sachês grandões de baunilha bem famosos. Tenho usado os da marca Bem Estar Eco com a mesma essência do borrifador. 

Entre os meus perfumes de ambiente preferidos estão o capim limão, o bambu e a baunilha. Gosto desses cheiros porque me ajudam a relaxar, assim meu uso é quase sempre noturno. Se a gente ama cheiros, mas compartilha o espaço com outras pessoas, é importante ter bom senso e lembrar que perfume é algo bem pessoal. Há também quem não curta ou tenha alergia deles.

terça-feira, 17 de abril de 2018

Fotografia: Olinda histórica e colorida

Meu passeio por Olinda foi todo feito a pé por suas lindas ladeiras históricas e cheias de casas coloridas. Acabei chegando bem na hora do sol forte, consegui encarar o calor com roupas leves, muita água, filtro solar e chapéu. Fui abordada por um guia local, que se propôs a dar uma orientação pelos pontos turísticos, não topei, pois tinha um roteiro prontinho na bolsa. Na verdade, achei que seria tranquilo caminhar pela cidade, mas precisei pedir ajuda em um ponto de apoio ao turista, onde ganhei um mapa e orientações.

Foto: Olinda, PE. Carina Pedro. 

A primeira parada foi na Igreja do Carmo, onde estava acontecendo uma missa matinal. No entorno, um grupo ensaiava maracatu, foi um anúncio do caldeirão cultural que veria em Olinda. Na sequência comecei a subir as ladeiras em direção ao Alto da Sé. Pelo caminho, várias casinhas coloridas e uma decoração que extrapolava os domínios domésticos. Apesar de algumas senhoras me alertarem para o perigo de andar com câmera fotográfica à vista, continuei com ela na mão. Registar esse percurso é irresistível!

Seguindo para Sé, pela ladeira da Misericórdia, cruzei com vários artistas, músicos, desenhistas, com destaque para os lindos Palhaços de Olinda, que ficaram à disposição para quem quisesse fotografá-los. Chegando lá, encontrei as tapioqueiras, tradicionais na cidade. Escolhi uma tapioca de queijo coalho e uma de banana com queijo, canela e leite condensado. Estavam divinas, as melhores que já comi. No entorno da Catedral da Sé, também consegui ouvir um pouco de frevo, maracatu e repente, essa mistura de ritmos é de uma riqueza sem igual

Foto: mascaras de carnaval nas ruas de Olinda, PE. Carina Pedro
Foto: Olinda, PE. Carina Pedro. 

Pertinho dali, segui para o Museu dos Bonecos Gigantes. Achei a exposição pequena, embora houvesse espaço suficiente para acomodar diversos bonecos de artistas e personagens locais, entre eles, o do escritor pernambucano Ariano Suassuna. Visitei também o Museu de Arte Sacra, com um acervo bem mais modesto do que os das cidades históricas mineiras. Depois de lá, subi o elevador panorâmico até um mirante com uma vista lindíssima de Olinda e Recife, uma parada obrigatória para quem quer fotografar as duas cidades com a luz do pôr do sol. 

Na sequência, teve início a última parte do passeio, uma imersão cultural inesquecível. Desci as ladeiras com os candoblecistas na cerimônia conhecida como "Águas de Oxalá". Houve uma concentração prévia na frente da Catedral da Sé e depois uma descida coletiva por uma ladeira íngreme de mesmo nome. Muitas pessoas vestidas com roupas brancas, água de cheiro, cantos e danças, que simulavam a lavagem da ladeira, tornaram a experiência ainda mais intensa e festiva. Com a câmera quase sem bateria, ainda consegui registrar alguns momentos preciosos da cerimônia.

Foto: Águas de Oxalá em Olinda. Carina Pedro
Foto: Águas de Oxalá, Olinda, PE. Carina Pedro. 

Algumas dicas finais para fotografar em Olinda: se puder esperar até o final do dia para clicar, será bem melhor, a luz e as cores da cidade ficam muito mais bonitas e o calor se atenua; escolher um final de semana para visitar a cidade aumenta a chance de cruzar com festividades populares pelas ruas e fazer um rico registro fotográfico; cuidar da câmera é sempre importante, mas não vi perigo algum em fotografar durante o dia; fotografei com minhas duas lentes, a grande angular 10-18 mm para arquitetura e a 50 mm para os detalhes, funcionou super bem, só ficou faltando uma bateria extra. De resto, é só diversão! Tem muitas fotos no meu Instagram.

Kindle Amazon

Addthis

Pin It button on image hover