sexta-feira, 16 de junho de 2017

Variedades: Cartier-Bresson e a Avenida Paulista

No último domingo vivi uma experiência diferente na cidade de São Paulo. Apesar de já ter ido várias vezes à Avenida Paulista, desta vez, como estava com a turma do curso de fotografia, a proposta era exercitar um olhar mais curioso sobre a paisagem. No mesmo dia também fomos visitar a exposição com fotos de Henri Cartier-Bresson no Centro Cultural Fiesp. Pura inspiração!

Foto de Carina Pedro: Avenida Paulista, São Paulo-SP. Blog Carina Pedro
Foto de Carina Pedro: Avenida Paulista, São Paulo-SP.

Desde 2015, no mandato de Fernando Haddad, a Avenida Paulista passou a ficar fechada para carros aos domingos, permitindo que as pessoas passeiem a pé ou de bicicleta pela rua, assistam a performances de artistas, vejam o trabalho de artesãos e façam dali um ponto de encontro para se divertirem com amigos e família no final de semana. Para mim, o local e o dia não podiam ser mais propícios para fotografar, com muito assunto para as lentes!

O bacana dessa experiência foi perceber que apesar de ter uma certa preferência por fotografar composições em que elementos arquitetônicos estão em evidência, e a Avenida Paulista tem muitas edificações para isso, estar ali em pleno domingo, cheio de gente, me fez olhar com outros olhos para algumas cenas. Não pude de deixar de aproveitar o movimento intenso de pessoas em meio ao cenário urbano para fazer fotos de assuntos e ângulos diferentes do que estou acostumada. 

Foto de Carina Pedro: Avenida Paulista, São Paulo-SP. Blog Carina Pedro
Foto de Carina Pedro: Avenida Paulista, São Paulo-SP.

Enquanto isso, as imagens do francês Cartier Bresson me serviram de inspiração para trabalhar em preto e branco, o que também não costumava fazer. Na exposição que visitamos, vimos de perto fotos p&b dos anos 20 e 30, quando o fotógrafo era jovem e começou a registar cenas curiosas do cotidiano com sua máquina Leica em viagens por diversos países, incluindo Espanha, França, Itália, México e Cuba.

De família parisiense abastada, Bresson começou cedo a acumular vasto repertório cultural em viagens e estudos. Segundo o curador da exposição, apaixonado por pintura e desenho, o fotógrafo estava em busca de cenas casuais e improváveis, influenciado em parte pela estética surrealista que surgia na época. Também se preocupava muito com a geometria dos elementos retratados para que a imagem ficasse harmoniosa, conceito que inspira fotógrafos até hoje.  O resultado final impressiona pela beleza simples e sensível.

Foto de Carina Pedro: Avenida Paulista, São Paulo-SP. Blog Carina Pedro
Foto de Carina Pedro: Avenida Paulista, São Paulo-SP.

Para finalizar este post nada melhor do que entender o ofício pelas palavras do próprio mestre:

"A câmera fotográfica é para mim uma caderneta de esboços, o instrumento da intuição e da espontaneidade, o mestre do instante que, em termos visuais, questiona e decide ao mesmo tempo. Para 'significar' o mundo, é preciso sentir-se comprometido com aquilo que se recorta através do visor. Esta atitude exige concentração, sensibilidade, e um sentido de geometria. É com a economia dos meios e, sobretudo, com o esquecimento de si mesmo que se alcança a simplicidade da expressão." (Henri Cartier-Bresson)

Obs.: Para fazer as fotos na Avenida Paulista utilizei a câmera Sony NEX-F3, lente 18-55 mm, e tratei as imagens no Lightroom. Tem mais fotos deste dia no meu perfil do Instagram.

Quer comentar no blog?

Saiba como comentar usando o Disqus com o Facebook

Kindle Amazon

Addthis